quinta-feira, 31 de julho de 2008

São José

São José
(O Silencioso e Justo esposo da Virgem Maria)



19 de Março

“José filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria, por tua esposa, pois o que nela foi gerado vem do Espírito Santo.”
Mt. 1, 20

Em hebraico, José significa: “Deus cumula de bens”, de fato São José foi agraciado por Deus, de infinitos privilégios e graças incontáveis.
Nas escrituras, pouco se fala do pai adotivo de Jesus. Algumas poucas referencias nos deixam claro que José é o elo de ligação entre o Antigo e o Novo Testamento, e foi o ultimo dos patriarcas.

Um Pouco de História


O Evangelho Secreto da Virgem Maria nos apresenta algumas características até então desconhecidas e que muito servem para enriquecer sua biografia.
José era da estirpe do grande Rei Davi, assim como Maria, embora sendo apenas o pai adotivo de Jesus, era preciso que se cumprisse a profecia, de que o Messias nasceria da linhagem de Davi.
Maria, desde os três anos de idade, vivia no templo consagrando a sua vida ao Senhor, a assim, desejaria viver para sempre. Consagrar-se à Deus de corpo e alma.
Deus que já havia pensado, ou melhor, desde a criação, do ato de desobediência de Adão e Eva; o Senhor planejou a vinda de seu Filho para remir a humanidade e junto pensou e desejou que seu filho viesse ao mundo no seio de uma família. Ali Ele pensou em Maria e Jose.
Os pais de Maria, Joaquim e Ana, desejavam um casamento feliz para a sua filha, embora ela desejasse permanecer virgem e a serviço do Senhor.
Diz a tradição que em obediência aos pais, Maria aceitou se casar, e meditava em seu coração, as virtudes e qualidades que desejava do futuro esposo. Muitos pretendentes se apresentaram, e então como reconhecer o escolhido? Foi então que Joaquim, seu pai, por Inspiração Divina, chamou os pretendentes e pediu que eles deixassem os cajados diante do altar no templo, que o Senhor daria um sinal do escolhido.
Passados alguns dias, o cajado de um jovem carpinteiro brotou, e assim perceberam a Intervenção Divina na escolha do jovem José.
A jovem Maria tinha apenas 14 ou 15 anos e seu noivo, com certeza era um pouco mais velho, talvez 25 anos; era solteiro humilde trabalhador e um homem justo.
Quando se conheceram, um amor puro e belo os tocou, era O Amor de Deus que brota nas suas criaturas.
José e Maria mantinham um noivado muito respeitoso, faziam planos, porem Maria mesmo em se casando, nutria em seu jovem coração o desejo de guardar seu corpo e sua pureza para Deus, os noivos nem imaginavam o que o Senhor preparava para as suas vidas.
Num belo dia, a jovem Maria recebeu uma visita celeste: o Anjo Gabriel anuncia o plano de Deus, a vinda do Messias, e ela foi a escolhida para ser mãe do Filho de Deus, e tudo aconteceria por obra do Espírito Santo. Perplexa, a Virgem Maria, mesmo sem saber o que dizer pois o céu aguardava a sua resposta, não pensou nas conseqüências, simplesmente disse sim a Deus e Nele confiou sua vida e seu futuro.
Como explicar aos pais e ao noivo José, que estava grávida e seu filho era o Messias esperado?
José ficou muito triste e naturalmente duvidou e, em seu coração pensou em abandonar Maria, porém, o Senhor comunicou-lhe seu plano em sonho e assim, o jovem carpinteiro aceitou e também disse o seu sim!
O casamento aconteceu conforme o costume dos Judeus e o jovem casal aguardava o nascimento do Messias.
Viviam como trabalhadores, pobres e humildes na cidade de Nazaré, no oficio de carpinteiro José sustentava com dificuldade sua esposa.
Por determinação do Rei Herodes houve um recenseamento e cada família deveria ir até a cidade de seus antepassados para o recadastramento. José e Maria deveriam ir para Belém, Terra de Davi, pois eram descendentes do grande rei e assim partiram: José segurando as rédeas e Maria no lombo do burrico. Foi uma longa viagem!
Em Belém, já exaustos, não encontraram lugar para hospedagem, todas as pensões e pousadas estavam lotadas, José vendo o estado da jovem esposa, com certeza ficou angustiado em na conseguir oferecê-la um quarto limpo e digno, porem, Deus em seus desígnios preparou uma humilde estrebaria para o descanso do casal e o nascimento de seu Filho Jesus.
Exemplo de submissão e obediência de nosso bom José, quando ainda em Belém, e avisado em sonho, se vê obrigado a fugir para o Egito, um país estranho, levando Maria e o pequeno Jesus, pois Herodes queria matar o Rei dos Judeus que tinha nascido.
Por seis anos moraram no Egito, e lá, exerceu seu nobre oficio de carpinteiro e convivendo em plenitude o amor em família.
Retornaram para Nazaré, com a morte do Rei Herodes e continuavam levando suas vidas num cotidiano natural, ensinado o oficio ao pequeno Jesus, que em tudo era obediente aos pais. Nas Escrituras a ultima referencia ao bom José é na passagem em que o menino Jesus se perde no templo aos 12 anos.
Conforme uma antiga tradição, São José, adoeceu depois que consertar um cercado de um vizinho que ficava em um morro e lá foi vitima de uma nevasca. Jesus foi ao encontro de seu pai e o trouxe para casa já bastante debilitado.
Quando José faleceu, Jesus tinha 20 anos, e nosso bom José teve a mais bela morte, pois ao seu lado, segurando suas mãos estavam seu filho Jesus e sua esposa Maria.
São José é o exemplo de Pai, esposo trabalhador, honesto, modelo de humildade, obediência e resignação.
José sempre nutriu por sua virginal esposa um respeito admirável, vendo nela um sacrário vivo e inviolável. Abdicou de ter seus próprios filhos, para que seu filho adotivo Jesus lhe desse junto com sua esposa Maria, a humanidade inteira, como filhos. A Igreja honra São José com o titulo de Patrono da Igreja Universal e da boa morte.
Santos e Santas fundadores de ordens, congregações e institutos colocaram São José como patrono e com uma confiança inabalável em nosso Santo que não cessa de interceder por nos junto de Jesus.
Invoquemos São Jose em nossas dificuldades, como protetor de nossos lares e nossas famílias, nossas casas de comércio e empresas, e para que tenhamos uma boa morte.
Oremos

Ave ó Jose, homem justo
Esposo virginal de Maria,
e Pai Davídico do Messias.
Bendito és tu entre os homens,
E bendito é o filho de Deus que a Ti
Foi confiado, Jesus.
São José, Padroeiro da Igreja Universal
Guarda as nossas famílias
Na paz e na graça divinas
E socorre-nos agora e na hora de nossa
morte, amém!
São Jose rogai por nós!

Amém!
Paz e Bem

Nenhum comentário: