Onde encontrar o Menino Jesus?

25 de dezembro
 
Os Anjos anunciam nos campos: “GLORIA A DEUS NAS AS ALTURAS E PAZ NA TERRA AOS HOMENS DE BOA VONTADE”, e lá se vão os pastores atrás do  Pequeno Rei que acabava de nascer nas imediações de Belém, cidade do  Rei Davi. Vão, e logo o encontram embrulhado por entre panos macios de algodão, deitado num coxo de madeira, adormecido e acalentado pelo carinho de sua mãe Maria e seu pai Jose.Algumas figuras compunham o cenário,  o burrico do casal, a vaquinha do proprietário da estrebaria, as ovelhas de alguns pastores e mais algumas aves, que juntos representavam a criação em adoração ao Rei dos Reis.
Os pastores vão entrando e  reverenciam o menino, o Santo Menino, o filho de DEUS, e cada um ,segundo suas posses, oferece  os frutos da terra com o suor de suas mãos calejadas pelo trabalho pesado, tudo ofertado em gesto de amor.
Vão-se os pastores e chegam aqueles que se encontram nas mesmas circunstâncias, acampados ao relento, alojados nos estábulos e soleiras das portas  e sempre a espera de dias e tempos melhores.Também esses encontraram o Messias prometido, mas será mesmo aquele menino, o Filho de DEUS? Nossa, tão frágil ! Será mesmo? Como o SENHOR permitiria que seu filho viesse ao mundo em condições  tão precárias, tão adversas, um nobre entre os pobres?
Saíram felizes, o SENHOR,   veio para os seus, igual aos seus e com a fragilidade humana dos seus, viram a salvação na forma de um menino.
Vão se os pobres e chegam os nobres do oriente, os Magos guiados pela estrela guia, chegam em Jerusalém em busca do Rei, buscam no Palácio o Santo Menino, lá não o encontram, encontram o Rei tirano Herodes, que disfarçadamente se interessa pela historia que os Magos estavam contando a respeito do   Rei de Israel que acabara de nascer.
Lá recebem informações de que o Messias nasceria em Belém cidade do Rei Davi. Seguem para lá, novamente guiados pela  Estrela guia, e depois de vagas informações, lá o encontram, também envolvido em humildes panos  e  no colo de sua Mãe Maria Santíssima.Eis o Palácio Real( a estrebaria), e eis o trono do Rei: O colo de sua mãezinha.Suas vestes reais? Humildes panos de algodão tecidos também por Maria sua mãe..
 Os Magos o saúdam, e aos pés de Maria depositam os presentes, OURO, INCENSO E MIRRA, presentes para um Rei, um pequeno Rei de uma grande Nação.Seus pais pouco ou nada entenderam daquela visita, porem ficaram encantados com todas as coisas que foram ditas e com tudo que foi oferecido.
Os magos partem por outro caminho, conforme o Anjo lhes indicou, Herodes fica enfurecido e num ato de desespero manda matar todos os meninos nascidos em Belém nos últimos tempos, foi a matança dos Inocentes. José toma o menino e foge para o Egito, conforme orientação do Anjo do Senhor, pois Herodes tenciona matá-lo. Onde encontrar os inocentes?Seus gritos são ouvidos nas clinicas de Aborto, nas creches que não tem merenda suficiente para saciar a fome dos pequeninos porque os políticos desviaram os recursos.Enfim nos postos de saúde onde faltam medicamentos, nos Países governados por tiranos que não se dobram no seu orgulho e o povo passa fome.Enfim ouvimos e  encontramos em todos os lugares, é só procurar...

E lá se vai a Sagrada família a cumprir a vontade de DEUS, o silêncio é por vezes interrompido pelo choro do menino. Sopra o vento, e um vento frio, os elementos da natureza vão se manifestando dando ao Rei os seus louvores, chega a escuridão da noite, noite fria noite escura, também ela saúda o menino estendendo sobre ele um manto coberto de estrelas. E o frio da seu ósculo na face do Reizinho, deixando toda rosada.
A Lua majestosa empresta seu brilho e sua luz ao jovem casal para não se perderem no breu da madrugada.E logo desperta a aurora trazendo a esperança de um novo dia, anunciando a chegada do astro rei, que se curva ao brilho do Santo menino, e lhe trás o calor de seus raios que o aquecem.A natureza, com  seus pássaros saúdam o novo dia e reverenciam a família que passa, afinal é a família real. Tudo e todos  manifestam seus louvores.As palmeiras lhes saúdam, as vegetações rasteiras se orgulham em servir de passarela para a realeza.Enfim toda criação vem ao encontro do menino que passa e que trás a esperança de novos tempos, tempos messiânicos...
Reconhecer na singeleza e na fragilidade daquele menino, o poder e a manifestação do amor de DEUS, é um ato de fé, de muita fé. Um DEUS que vem ate nós, que se faz igual a nós em tudo, menos no pecado, um DEUS que não tem outro nome que não seja AMOR. Um amor que não se mede, não se compra e não se compara, Ele é de todos e para todos.É o amor que levanta o caído e limpa suas feridas,  dando-lhe o beijo gratuito. É o amor que entende o esquecimento dos idosos, suas dores do corpo e da alma, um amor que se faz doação e que se chama mãe, um amor que atravessa as grades das prisões e que toca nos encarcerados, um amor que dorme ao relento com os bêbados, drogados e tantos outros marginalizados,um amor  que me faz te chamar de meu irmão, não importa a tua condição e muito menos a minha, o que importa é que DEUS nos amou e quis que o chamasse de PAI, portando não importa a tua cor, a tua religião, tuas escolhas, tua posição política, teu grau de escolaridade, teu endereço, tuas vestes e muito menos tuas posses ou se nada possuis, o que realmente importa É QUE TODOS SOMOS IRMÃOS EM CRISTO JESUS.
PAZ E BEM!
FELIZ NATAL.








Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Santa Catarina de Alexandria

São Miguel Arcanjo

São Roque