domingo, 15 de fevereiro de 2009

Mãe e Senhora do Perpétuo Socorro




Mãe e Senhora do Perpétuo Socorro

27 de Julho

Em milhares de igrejas do mundo inteiro, nas quartas-feiras, tradicionalmente se realiza a novena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.
Na realidade, a maioria dos fiéis devotos da Virgem do Perpétuo Socorro desconhecem sua origem e simbologia, tão rica em detalhes doutrinários.

A História:

Conta-se que um rico comerciante, da região da ilha de Creta, roubou um milagroso quadro da Virgem Maria, que era venerado pela população daquela região. Seu interesse era unicamente comercial.
Atravessando o Mediterrâneo, o navio, que transportava a preciosa carga, foi atingido por uma terrível tempestade, que ameaçava submergí-lo. A tripulação, mesmo desconhecendo a presença da imagem, implora a proteção da Virgem Maria e logo a tormenta amainou, permitindo que a embarcação ancorasse a salvo num porto italiano.
Com a morte do comerciante, a Virgem Maria apareceu a uma menina, filha da mulher que guardava a imagem em sua casa, pedindo que a mesma fosse colocada numa igreja e invocada pelo título de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro; e assim, no ano de 1499, o milagroso quadro foi entronizado solenemente na capela de São Mateus, em Roma.
Durante 300 anos, o quadro permaneceu naquela cidade e ali, recebeu milhares de peregrinos que prestavam as mais significativas manifestações de fé e devoção, até que o templo foi criminosamente destruído, e os religiosos, que guardavam a preciosa relíquia se dispersaram.
Em meados do século XIX, o Papa Pio IX chamou a Roma os padres redentoristas que se estabeleceram no antigo Convento dos Agostinianos, antiga capela de São Mateus.
Um dos padres redentoristas encontrou documentos relativos à imagem da Virgem Maria, famosa pelos grandes milagres que realizava. Após muita procura, o quadro foi encontrado por uma revelação especial de Nossa Senhora.
No ano de 1866, a milagrosa imagem foi conduzida triunfantemente ao seu atual santuário, por ordem do Santo Padre Pio IX, que recomendou aos filhos da Santo Afonso (os redentoristas): “Fazei que todo o mundo conheça o Perpétuo Socorro”. De seu trono no monte esquilino a devoção se irradiou por todo o planeta. No Brasil, esta devoção chegou em 1893.
Durante muitos séculos, a ilha de Creta esteve dominada pelos mulçumanos, que foram os maiores responsáveis pela destruição de documentos cristãos, fato este, que impediu que se descobrissem maiores detalhes sobre o quadro.
O quadro é uma pintura sobre madeira, em estilo bizantino, onde se enlaçam a arte e a piedade, a elegância e a simplicidade, dizem, também, os entendidos, que o quadro deva ser uma das diversas cópias do retrato da Virgem feitas para São Lucas.


A Simbologia

O olhar de Maria é algo transcendental e ao mesmo tempo muito humano, um misto de doçura de Mãe e uma delicada censura, como a dizer: “Não agridam meu Filho, não magoem meu coração...”. O pequeno Jesus está refugiado nos braços da Mãe: a mão esquerda o sustenta e a mão direita segura as mãozinhas trêmulas do filhinho assustado.
O menino, sentindo-se seguro nos braços da mãe, olha espantado para os instrumentos da paixão que os dois anjos laterais lhe apresentam: à esquerda, o arcanjo São Miguel apresenta à Jesus a lança, a vara, com a esponja e o cálice da amargura. À direita, o arcanjo São Gabriel apresenta à Jesus a cruz e os cravos.
A boca de Maria é pequenina, fechada, lembrando-nos do silêncio da fé, que ela guardou na situação delicada da encarnação e gravidez.
Os olhos de Maria são grandes, abertos, voltados a nós, com uma delicada admoestação de não pecarmos; a confiança que ela inspira, dizendo-nos estar presente em nossas perpétuas necessidades.
As mãos de Jesus, apoiadas nas mãos da Mãe, não estariam a nos dizer que Ele gosta de colocar nas mãos da Mãe, todas as graças, proclamando-a Nossa Medianeira? E o acolhimento seguro que Ela dá ao Filho, recebendo-o no colo, não estará nos dizendo que suas mãos estão sempre prontas a nos acolher? Já reparou no detalhe da pequena sandália desprendendo-se de um dos pezinhos do Filho? A sandália não será o pecador ainda preso a Jesus pelo fio da sandália, fio esse que significaria a devoção de Maria?

(clique na imagem para sua extensão)


1 – A abreviatura da palavra grega MHTHR, que significa “mãe”.
2 – A abreviatura da palavra grega QEOU , que significa “de Deus”.
3 - A abreviatura da palavra grega ARKAGGELOS MIKAHA, que significa “Arcanjo Miguel”, apresentando-lhe a lança, a vara com a esponja e o cálice.
4 – A abreviatura da palavra grega ARKAGGELOS GABRIHL , que significa “Arcanjo Gabriel” que apresenta Jesus à cruz e aos cravos.
5 – A abreviatura da palavra grega IHS CRISTOS, que significa: “Jesus Cristo”.
6 – A estrela no véu de Maria é a estrela que nos guia no mar da vida até o porto seguro.
7 – A boca de Maria é pequena para guardar silêncio. Ela fala pouco.
8 – Os olhos de Maria são grandes e voltados sempre para nós, para nos ajudar em todas as necessidades.
9 – A túnica vermelha, distintivo das Virgens no tempo de Maria.
10 – A túnica azul, distintivo das Mãe daquela época.
11- As mãos de Jesus estão apoiadas na de Maria, significando que por Ela nos vêm todas as graças.
12 – A sandália desatada: símbolo de um pecador preso ainda a Jesus por um fio último: a devoção à Nossa Senhora.
13 – A mão esquerda de Maria segura o Filho no colo. As mãos de Mãe sempre acolhem o Filho.

Oremos:

Quantas vezes, ó Mãe do Perpétuo Socorro, meu coração fica triste, atribulado, cheio de dúvidas e angustiado. Isso acontece porque não me recolho no silêncio da oração e nem procuro ver o que Deus quer de mim. Não sei escutar a Deus; Maria, peço-vos a graça de acreditar que Deus me ama sempre. Amém. Paz e Bem.

Nenhum comentário: