quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Conversão de São Paulo


Conversão de São Paulo
25 de janeiro

Saulo, Saulo por que me persegues? Saulo disse: Quem és, Senhor? Responde ele: Eu sou Jesus, a quem persegues” (Atos 9, 4-5).

O Senhor é infinitamente grande em seu amor e seus desígnios são realmente sem medidas. Ele dirige os corações como torrentes d’agua. Desejou que os primeiros adoradores do menino Jesus fossem os pastores, convidou-os através dos anjos. Aos Reis do Oriente fez o convite através da estrela guia; e eles foram adorá-lo. Ao precisar de operários para sua vinha chama uns pobres pescadores do lago de Tiberiáde dizendo: “Vinde após mim”...
Ao desejar um grande apóstolo para os gentios, despedaça o coração irrequieto do jovem Saulo, que de perseguidor de Cristãos, transforma-se todo em Cristo a ponto de dizer: “Vivo, porém, não eu, mas Cristo Vive em mim”.
Saulo, natural de Tarso, na Cilícia, descendente da tribo de Benjamim e ao mesmo tempo cidadão romano.
Era dotado de talentos extraordinários e sentimentos nobres, porém o que lhe era peculiar era a sua força de vontade inquebrantável.
No tempo em que Jesus pregava o evangelho na Palestina, Saulo estudava a ciência dos Santos Livros aos pés do célebre Gamaliel. Os Fariseus encatavam-se com o seu zelo ardente pela lei de Moisés e pelo conhecimento das tradições.
O crescimento acelerado da Igreja de Jesus Cristo e o aumento espantoso do número de discípulos do crucificado fizeram com que no coração de Saulo brotasse um ódio mortal dos Cristãos, que eram por ele considerados traidores da causa pátria.
Quando o primeiro mártir morreu, vitima do ódio dos fariseus, os algozes depositaram as vestes do diácono Estevão aos pés de Saulo. Graças às orações e ao martírio de Estevão que Saulo foi convertido.
De certa forma o testemunho de Estevão mexeu consideravelmente com o coração odioso de Saulo.
Dois anos após a morte e ressurreição de Jesus e incitado constantemente pelo ódio dos fariseus, Saulo foi ao sumo sacerdote, e pediu-lhe cartas para a sinagoga de Damasco, com poderes para trazer presos para Jerusalém todos os seguidores do Cristo, homens, mulheres e crianças.
Já a caminho, e bem perto de Damasco é surpreendido por uma forte luz que lhe cega os olhos. Saulo é derrubado de seu orgulho e ouve uma voz que lhe dizia: “Saulo, Saulo por que me persegues? Saulo disse: Quem és, Senhor? Responde ele: Eu sou Jesus, a quem persegues”.
Assustado e tremendo disse: “Senhor, que queres que eu faça?” o Senhor respondeu: “Levanta-te e entra na cidade. Lá saberás o que fazer.” Toda a guarda acompanhava Saulo, estava atônita, tinha ouvido a voz, mas não viam ninguém. Saulo ao levantar-se tentou abrir os olhos, mas estava cego. Tomaram-no pela mão e o levaram para Damasco.
Durante três dias não fez nenhuma refeição e nem água tomou, seus olhos estavam cobertos de modo que não enxergava absolutamente nada.
Havia em Damasco um discípulo chamado Ananias. O Senhor lhe revelou em visão: “Levanta-te e vai à rua direita; procura na casa de Judas um homem de Tarso, chamado Saulo.” Neste momento ele está em oração. (Saulo numa visão viu um homem chamado Ananias, entrar e impor-lhe as mãos, para que recobrasse a visão).
-Ananias respondeu ao Senhor: “Senhor, tenho ouvido falar muito desse homem e do mal que fez aos santos em Jesuralem e mesmo para cá, ele veio com plenos poderes dos princípios dos sacerdotes para exterminar a todos que invocam o vosso nome”.
-O Senhor lhe respondeu: “Ananias vai que este homem é um instrumento de minha escolha para levar o meu nome às nações e aos reis, assim como aos filhos de Israel. Vou ensinar-lhe quanto tem de sofrer por meu nome” Ananias foi.
Quando chegou a casa impôs as mãos sobre a cabeça de Saulo e disse-lhe: “Paulo meu irmão, o Senhor Jesus, que apareceu a ti no caminho de Damasco, enviou-me para restituir a tua visão, e encher-te do Espírito Santo” no mesmo instante caíram de seus olhos como que escamas e voltou a ver, levantou-se e desejou ser batizado. Paulo ficou em Damasco mais alguns dias, pregou nas Sinagogas que Jesus é o Senhor; o filho único de Deus.
Todos os que o ouviam ficavam admirados e diziam: “Não era ele, que em Jesuralem, queria matar a todos que invocassem o nome de Jesus? Não era sua intenção levar todos os Cristãos todos os Cristãos amarrados diante dos príncipes dos sacerdotes”.
Tal acontecimento mexeu e muito com os Judeus de Damasco, Paulo, porém com toda a convicção e cheio do Espírito Santo, anunciava que verdadeiramente o Cristo Jesus era o Messias.
Por um período de três anos Saulo, retirou-se sozinho para Arábia e lá se preparou para a nova missão. Os Judeus planejavam matá-lo, as portas da cidade eram vigiadas dia e noite, para que não lhes escapasse. Paulo foi avisado e os discípulos aproveitando-se da noite desceram-no num cesto pela janela.
Sua chegada a Jesuralem causou temor aos discípulos. Pois não acreditavam em sua conversão. Barnabé tomou-o pela mão e levou-o aos apóstolos, contou-lhes o acontecido no caminho de Damasco, e como o Senhor apareceu-lhe. Falou-lhes, também, da coragem com que Paulo anunciou o nome de Jesus. Desde então seguia em companhia dos apóstolos Paulo foi o apostolo da coragem e da determinação. Podemos dizer que o olhar do Senhor sempre esteve sobre as atitudes corajosas de Saulo perseguidor e transforma-o em Paulo o grande pregador do evangelho de Jesus Cristo.
Celebremos a conversão de São Paulo e um novo momento para a Igreja. “Ai de Mim se não Evangelizar.”
Amém
Paz e Bem!

Nenhum comentário: