domingo, 11 de setembro de 2016

Santa Teresa de Calcutá: A Santa das sarjetas

04 de setembro 2016.

“Vinde, benditos de meu Pai, tomai posse do Reino que vos esta preparado desde a criação do mundo, porque tive fome e me destes de comer, tive sede e me destes de beber, era peregrino e me acolhestes, estava nu e me vestistes, enfermo e me visitastes, estava na prisão e viestes a mim...”Mateus 25, 34-36.
O próprio Senhor Jesus, no texto acima, nos ensina o meio mais eficaz de alcançar a santidade, são pequenos gestos, feitos com amor, e que nos apontam  para a posse do reino que para todos foi preparado, a Santidade é para todos, pois o mesmo Senhor disse:”Sede santos”
Santa Teresa de Calcutá nos deixou um legado de obras de misericórdia de grande importância,seu jeito simples, seu olhar terno, suas palavras doces e também cheias de verdade deram ao mundo  um novo vigor evangélico, afinal sua vida era o próprio Evangelho-A boa nova, o reino anunciado e vivido naquela franzina Irmã da Caridade.
Todos nós, cristãos batizados em nome da Trindade Santa, recebemos as  virtudes da Fé,da Esperança e da Caridade no exato momento do nosso batismo e são essas virtudes que nortearam toda a nossa vida no caminho de santidade e quando chegarmos ao final dessa  vida e já diante do trono do Altíssimo, seremos julgados pelos nossos atos e gestos de amor(caridade).

Afinal, quem foi Santa Teresa de Calcutá?

Nascida no dia 27 de agosto de 1910, na Albânia,na Pia Batismal recebeu o nome de Agnese  Bojaxhiu, porem era carinhosamente chamada de Gonxha= Botão de flor.Seus pais eram  Nicolau e Drone,  ele comerciante, construtor e também exercia forte influencia nos meios políticos da cidade, foi eleito vereador.No ano de 1919 foi envenenado pelos seus opositores políticos.Com  a morte de Nicolau, a senhora Drone, ate então dona de casa viu-se obrigada a arregaçar as mangas e partiu para o trabalho informal, vendendo tapetes, bordados e artesanato.Lazar, Agnese, e Agata, tiveram a mais sólida educação baseada nos princípios éticos, morais e  cristãos, Nicolau era rigoroso, porem bondoso e compassivo,Drone era corajosa,meiga e piedosa.Próximo a casa da família tinha uma Igreja e incentivados pela mãe participavam da missa diária e a noite  todos rezavam o rosário.Dona Drone fazia questão de lembrar os filhos a palavra de JESUS que dizia:”O que fizerem a um pobre, por amor a mim, é como se fizessem a mim”.Agnese e seus irmãos, junto com sua mãe, frequentemente visitavam famílias pobres da periferia, a jovem Agnese frequentemente voltava aquelas casas para brincar com as crianças assim como  ensinar as primeiras letras.
Foi na adolescência que Agnese sentiu os primeiros impulsos vocacionais, o desejo de ser Missionária, de estar a serviço dos mais pobres e desvalidos tornou-se uma constante em seu jovem coração! Enquanto ajudava a mãe nos trabalhos domésticos entretinha-se com as leituras de testemunhos de missionários na INDIA. A semente estava sendo plantada...
Agnese foi em busca de seus sonhos e do seu chamado,  assim descobriu que as Irmãs da Congregação de Nossa Senhora de Loreto tinham uma casa em Bengala na India.Decidida ,partiu para Dublin(Irlanda), sede da Congregação e lá ficou alguns meses em preparação para se tornar uma religiosa.Sendo aprovada, iniciou uma longa viagem para Darjeeling(India), onde em 1928 iniciara o noviciado.
Na Solenidade de Nossa Senhora Auxiliadora, dia 24 de maio de 1937, fez sua profissão perpetua e passou a ser chamada Irmã Teresa, daquele dia em diante trabalhou como professora secundaria por dez anos.No dia 10 de setembro de 1946, estando Irmã Teresa em viagem de trem com destino a Darjeeling, sentiu em seu coração, como que a  arder em chamas de amor, era a voz do SENHOR a lhe chamar.Teresa decide deixar a Congregação para ajudar os pobres das sarjetas, os leprosos agonizantes das  vielas, as crianças famintas e os velhos esquecidos..Foi somente no dia 02 de abril de 1948, que o Papa Pio XII, autorizou Teresa a ser freira fora dos muros do Convento, sua casa seria as ruas, escolheu dormir ao relento , comer da mesa dos miseráveis, os tempos primeiros enchiam seus olhos de lágrimas, lagrimas do medo das incertezas, das injustiças, das misérias e do sofrimento alheio.Para se tornar mais próxima, troca o habito preto por um sári branco de listas azuis, tal qual as mulheres indianas!
Quando chegou a India, como Missionária da Irmãs de Nossa Senhora de Loreto, trabalhou no Colégio St.Mary’s High School, Escola para os filhos dos ricos e poderosos, ao lado ficava a Favela Motijheel e foi justamente nessa favela que Irmã Teresa decidiu iniciar sua obra, Calcutá seria o seu campo de ação e o lugar pelo qual seria conhecida por toda a sua vida,Madre Teresa de Calcutá.
Outras irmãs vieram, sentiram-se chamadas e tocadas pelo amor de Madre Teresa, os gestos de amor e dedicação aos leprosos, dando-lhes banhos, trocando ataduras daquelas feridas  e daqueles membros em decomposição.Teresa era só amor, em cada gesto e em cada situação!
Em pouco tempo, já eram muitas, e assim  foi necessário adquirir um espaço para abrigá-las, assim como os pobres.Viviam da providencia, tudo lhes era dado como esmola, não poderiam as irmãs ter mais do que os pobres, a ninguém foi negado o acolhimento na casa das Irmãs, não importava o estado de saúde, a idade, o que importava era ver JESUS em cada irmão acolhido.
Madre Teresa e as Missionárias da Caridade passaram a ser conhecidas e respeitadas não somente na India mas em todo o mundo.Lideres Religiosos, Chefes de Estado, artistas, ativistas, sacerdotes, religiosos, bispos, cardeais, iam ao encontro de Madre Teresa e nela encontravam meios de ajudar os mais necessitados.
Foi Madre Teresa uma incansável embaixadora da luta contra o Aborto, falou aos lideres mundiais na ONU, criticou chefes de estados que aprovavam a lei do aborto, condenou as ações disfarçadas  das feministas(abortistas), desmascarou falsas intenções, não se curvou diante das ameaças e dos poderosos.Foi sempre um mulher corajosa e um símbolo mundial da luta pela paz, o que lhe conferiu o Premio Nobel da Paz  no ano de 1979.
Madre Teresa foi consumida pelo amor, gastou-se e esgotou-se de amor a DEUS a aos irmãos, sua vida foi apagando-se como uma vela  ate que seu coração cheio de amor e bondade não aguentou mais de saudades de DEUS e parou de bater no dia  05 de setembro de 1997.Calcutá ,a Índia, o mundo parou para se despedir da Missionária da Caridade e já naquele momento chamada por todos como Santa, Santa Teresa de Calcutá!
Foi  beatificada por São João Paulo II no dia 19 de outubro de 2003 e canonizada pelo Papa Francisco no dia 04 de setembro de 2016.
“Ó meu Deus, por livre escolha e por teu amor, desejo permanecer aqui e fazer o que a tua vontade exige de mim. Não darei nenhum passo para trás. Minha comunidade são os pobres. Sua segurança é a minha. Sua saúde a minha saúde , minha casa é a casa dos pobres dentre os mais pobres.daqueles que ninguém se aproxima por medo de contágio e da sujeira, que esta coberto de micróbios e de ratos.daqueles que não vão rezar porque estão nus.Dos que já não se alimentam porque sequer tem forças para comer.Daqueles que caem nas ruas conscientes de que vão morrer e que , ao lado deles, caminham os vivos, que não prestam a mínima atenção.Daqueles que já não choram porque suas lágrimas já se esgotaram!”
Santa Teresa de Calcutá –Rogai por nós, que recorremos a vos!
Paz e bem!