quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Santa Elisabeth da Trindade OCD.

16  de   outubro..

“A vida no Carmelo é uma comunhão com DEUS desde a manhã até a noite e da noite até a manhã. Se Ele não estivesse presente  em nossas celas e nossos claustros, como tudo seria vazio! Mas nós o descobrimos em tudo porque o trazemos conosco, e nossa vida é um céu antecipado”(Elizabeth da Trindade).

Próximo do início do verão, mais precisamente no dia 18 de julho de 1880, num acampamento militar de Avoir(França), perto de Bourges, nasceu ISABEL CATEZ ROLAND, nome recebido na Pia Batismal no dia 22 de julho do mesmo ano.Isabel , era filha de Francisco Jose Roland e de D.Maria Catez Roland.
A menina de olhos vivos e temperamento explosivo, foi sempre um referencial em sua família, era geniosa e inquieta, estava sempre em busca de alguma coisa e por ser muito pequena não entendiam  o motivo de tanta ansiedade! Talvez um mover de DEUS?
Sempre ouvimos que DEUS  prepara aqueles que chama, e assim foi moldando a pequena Isabel que com o tempo tornou-se uma Jovem amorosa, dedicada e compassiva para com todos, quando entrou na juventude, já era uma jovem terna, dedicada aos exercícios de piedade e a pratica da religião.
Como seu pai era um oficial militar francês, ele foi transferido para Dijon, e foi lá que recebeu o premio do Conservatório de Piano, como a melhor e mais dedicada aluna. Isabel, sempre nutriu em seu coração inquieto, o desejo de  tornar-se religiosa deu seus primeiros sinais aos 7anos de idade! Porem foi somente aos 21 anos que ingressou no Carmelo, e adotou o nome de Irmã Elizabeth da Trindade.
Sua vida, como carmelita descalça, revelou ao mundo uma riqueza imensa de escritos e tratados sobre a Trindade Santa, e dizia ela que :”DEUS é tudo em todos”.Suas cartas, seus escritos nos dão conta do quanto essa jovem mergulhou no mistério de amor de um DEUS que é Pai, Filho e Espírito Santo,”DEUS esta dentro de tua alma”, repetia constantemente.
Irmã Elizabeth inebriava-se de amor em seu TRÊS, e foi nesse amor que emitiu seus votos perpétuos no dia 11 de janeiro de 1903, era uma apaixonada pela vida de carmelita, encantava-se com os escritos de Santa Tereza D’Avila e São João da Cruz, era um doar-se a DEUS inteiramente, sem reservas.
A  ascese e a  mística jamais fizeram de Irmã Elizabeth uma pessoa  distante de suas obrigações diárias com a vida de carmelita, era dedicada aos trabalhos mais simples e tudo suportava com amor e resignação.Era simples em tudo o que fazia e escrevia, colocava amor em tudo e seus olhos eram como que janelas abertas para o desconhecido, negros, vivos e brilhantes.Seis anos se passaram desde que entrou para o Carmelo de Dijon, e Irmã Elizabeth, começou a sentir-se fraca, uma tosse insistente não a deixava em paz e em poucos dias constatou-se o pior, Irmã Elizabeth estava com a doença de Addison(Tuberculose), até então incurável, alem de uma ulcera estomacal Em seus momentos de dor exclamava:”Vou à luz, ao amor, à vida”
Irmã Elizabeth entrega-se totalmente ao seu TRÊS no dia 09 de novembro de 1906, estando com 26 anos e deixando ao mundo católico uma obra grandiosa que se distinguem em Elevações, retiros, notas espirituais e cartas.
Foi beatificada pelo Papa João Paulo II no dia 25 de novembro de 1984 e será canonizada no dia 16 de outubro de 2016, pelo Papa FRANCISCO, na Praça de São Pedro em Roma.

“SOFRER É COMPARTILHAR A CRUZ DE JESUS.COM UM OLHAR NO CRUCIFICADO, O SOFRIMENTO SE TRANSFORMA EM ORAÇÃO”.

Amem Paz e Bem!
Marcio Antonio Reiser OFS.

Nenhum comentário: