terça-feira, 6 de julho de 2010

Santa Maria Madalena


Santa Maria Madalena

22 de Junho

Mulher, Porque choras? A quem procuras?

As escrituras do Novo Testamento nos apresentam 7(sete) mulheres que tem o prenome comum de Maria(Mirjam, em Hebraico). O apelido “Madalena ou Magdalena”, se refere à sua origem ou seja de MAGDALA- que fica no litoral oeste do Lago de Genesare.
Sabemos pelos textos sagrados que Jesus nunca tratou as mulheres como subordinadas. O Evangelista Lucas faz menção em sua narrativa que mulheres como JOANA, SUZANA, MARIA SALOME-mãe de TIAGO E JOÃO Evangelista, e MARIA MADALENA, eram discípulas do Mestre.
Segundo, também a tradição, no tempo de Jesus havia nas margens do lago de Genesare uma vivenda chamada Magdala, residência de Maria Madalena uma jovem rica, nobre e de beleza invejável.
Ficando orfã muito jovem e sem alguem que lhe orientasse, adquiriu certa independencia e foi o alvo de interesse de muitos jovens, desde os mais distintos ate os que queriam tão somente se aproveitar da situação.
Os anos se passaram e Madalena, apesar de toda a sua riquesa e seus amores, sentia em seu coração um angustiante vazio. As festas e os prazeres humanos não supriam a solidão, os “ Amigos” ja lhe causavam certa repulsa.
As escrituras nos dizem que o Senhor abomina o pecado, porem ama o pecador. Sendo assim , quis a Providencia Divina que seu olhar cruzasse com o olhar terno e afetuoso de JESUS. Bastou um breve olhar para fazer o gelo de seu coração começar a derreter.
A converssão aconteceu de fato durante um banquete.Madalena aproxima-se do Mestre trazendo em suas mãos , trêmulas , um vaso de alabastro cheio com os mais preciosos unguentos, para, segundo o costume ungir a testa e os cabelos dos que estavam à mesa.
O dono da casa praticamente ignorou a presença de Madalena, olhou para ela com despreso. Com o seu olhar baixo, Maria Madalena se aproxima de JESUS, ajoelha-se a seus pes e diante do Senhor da vida e da morte, derrama lagrimas de arrependimento e dor. Nenhuma palavra consegue proferir… A dor embarga a sua voz!
Prostrada aos pés de Jesus, encharca-os com suas lagrimas e seus unguentos preciosos e enxuga-os com seus longos e belos cabelos…Soluços discretos atravessam o silencio da sala do banquete. Olhares maliciosos voltam-se para ela, o despreso e geral. O unico olhar que lhe importava realmente, era o olhar do Senhor, e este sim lhe foi dirigido cheio de Misericordia .
O Senhor Jesus repreende o dono da casa enaltecendo o gesto de Madalena e a ela dirige as consoladoras palavras:” Muitos dos teus pecados te foram perdoados por que muito amor demonstras-te”.
Os olhos embaçados de Madalena adquirem um novo brilho, o brilho da graça santificadora. Silenciosa se levanta e inteiramente restaurada inclina-se , em gesto de gratidão ao Senhor, retira-se da sala repetindo as palavras do Salvador: “Tua fé te salvou, Vai em Paz”.
Maria Madalena passa a seguir Jesus tornando-se assim sua discipula unida as outras mulheres do grupo. Por certo foram estas discipulas que prepararam a ultima ceia. Foi no momento da Paixão do Senhor que Maria Madalena demonstrou coragem e determinação. Não era possivel abandonar seu Mestre logo naquele momento, a cena da unção e do perdão recebido não a deixavam partir!
Sai correndo ao encontro de JOÃO Evangelhista e de NOSSA SENHORA e foi no caminho do Calvario que encontraram MARIA DE CLEOFAS(concunhada de Nossa Senhora) e sua filha MARIA SALOME( Mãe de Tiago e João).
Tudo acontece muito rapido, o olhar de dor de Jesus encontra a ternura de sua Mãe, a coragem de João, a gratidão de Madalena e a compaixão das outras Marias.
Jesus morre na cruz e dela é descido , ungido e sepultado. De acordo com os três primeiros evangelhos, Maria Madalena e outras mulheres chegaram ao túmulo de Jesus, onde um anjo apareceu a elas e anunciou a mensagem da Páscoa. No Evangelho de João, Maria Madalena primeiro foi sozinha até a sepultura, na manhã de Páscoa. Quando a encontrou aberta, ela chamou Pedro e o discipulo amado (João). Depois que eles saíram, Maria Madalena ficou lá sozinha e chorou; então dois anjos apareceram, mas ela achou que era o jardineiro. Quando ela depois de ouvir o chamado de Jesus: “Maria” ela exclama: ‘Raboni’. Jesus a proibiu de tocá-lo. Maria Madalena imediatamente foi proclamar a ressureição de Jesus.
A narrativa da Páscoa do Senhor apresenta Maria como a Anunciadora primeira da Ressurreição.
Provavelmente Madalena esteve presente no domingo de Pentecostes e como discipula testemunhou o evangelho na força do Santo Espirito.
Uma antiga lenda nos diz que após pentecostes, Maria Madalena teria fixado residência em Marselha e por mais de 30 anos viveu em uma caverna, como penitente.
O amor de Jesus por Maria Madalena foi uma amor divino, um amor misericordioso. O amor incondicional do bom Pastor por suas ovelhas.
Eu Vi o Senhor
Amém!

Um comentário:

Leandro Ferreira disse...

Santa Maria Madalena é um grande exemplo para todos nós, um exemplo de nunca desistir. Jesus teve esperança nela. E tem esperança em todos nós também.