quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

O Encanto de Belém!


O Encanto de Belém!

Ouve-se no céu o decreto do Deus Altíssimo: Toda a Corte Celeste desceria a terra para reverenciar o filho de Deus, o Salvador do gênero humano, o Santo Menino! Que acabara de nascer.
Partem em direção a terra do rei Davi, Belém de Judá, os Anjos de Deus visitam as mais belas casas, dos mais importantes da cidade; onde encontraremos o Rei dos Reis? Em que palácio teria nascido? A busca é incessante.
Eis que o menor da corte celeste, um anjinho bastante observador ouve o choro de um recém nascido e vai ao encontro do som.
O choro fica mais intenso quando o pequeno anjo afasta-se do centro da cidade, e vai em direção a um complexo de grutas.
Diversas grutas! O choro torna-se mais nítido quando chega à entrada de uma delas; era ali! Justamente naquela que abrigava alguns animais, e era uma estrebaria! O Filho de Deus nasceu aqui? Pensou o pequeno anjo!
Nosso anjinho, feliz pelo encontro, entra na gruta e contempla uma cena de beleza sem igual. O Menino de Belém, o filho do Altíssimo repousa nos braços de sua mãe.
O palácio que abriga o Rei do céu e da terra é uma humilde gruta de pedras. A guarda real é composta de um burrico (Soréc) e uma vaquinha Mocha. O Berço Real é um cocho de madeira, tendo palhas de feno, como colchão e cueiro de algodão como mantas.
O administrador real é José, o Casto esposo da Virgem Maria, e pai adotivo do filho de Deus. Ele foi o escolhido pelo Altíssimo, para prover e proteger a Sagrada Família.
O Menino acorda, e com fome é alimentado com a mais rica das iguarias; o alimento do pequeno Rei é o leite materno de nossa senhora.
Nosso pequeno anjo ao contemplar a cena da amamentação, não se contém e chega mais perto, e prostara-se em humilde adoração.
O anjinho exulta de alegria, e vai ao encontro de toda a corte celeste, conta o que encontrou e de repente um número incontável de anjos faz um imenso cortejo, na porta da gruta. Para reverenciar o Menino de Belém, o Príncipe da Paz e Rei dos Reis.
Saem por toda a terra anunciando o grande acontecimento, o esperado de todas as nações já dorme num presépio de Belém.
“Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens de boa vontade!”
Descortina-se no céu o maior espetáculo! As estrelas e os astros manifestam a glória de Deus! Céus e a terra cantam sua grandeza.
O Menino veio para ser:
A Esperança dos desesperados,
Alegria dos tristes,
Saúde dos enfermos,
Alimento dos Famintos,
Luz para as trevas,
Caminho para os peregrinos errantes.

O menino de Belém veio para todos, de todos os tempos, de todos os lugares, de todos os credos e de todos os povos, sem distinção.
O menino das palhas, é a ternura de Deus, é a palavra de Deus se que fez carne e veio habitar em nosso meio.
Celebramos o nascimento do Santo Menino Jesus, o aniversário dele e, no entanto em muitos lugares, ele nem é lembrado.
A devoção a infância de Jesus é na verdade uma manifestação de fé adulta e madura. Muitos Santos nutriram pelo Menino Jesus, grande afeição, entre eles: São Francisco de Assis, Santa Tereza D’Ávila, Santa Terezinha do Menino Jesus, São João da Cruz, Santo Antônio de Pádua entre muitos outros.
Pe. Sleich revela que a conhecida obra literária “O pequeno príncipe” de Antoine da Saint Exupéry, foi inspirada no Menino Jesus. O padre ainda informou que Saint- Exupéry nutria uma sadia devoção ao Menino Jesus de Praga.
O Papa Bento XVI, ao visitar a República Checa, na capital (Praga) realizou como primeiro compromisso a coroação do Menino Jesus de Praga, e lá fez a seguinte oração, lembrando que “O Menino Jesus já era Rei enquanto criança”.
Oremos:

“Ó meu Senhor Jesus,contemplamos-te meninoe cremos que és o Filho de Deus,que se fez homemno seio da Virgem Maria,por obra do Espírito Santo.Tal como em Belém,também nós, com Maria, José,os anjos e os pastores,te adoramos e te reconhecemoscomo nosso único Salvador.Fizeste-te pobrepara nos enriqueceres com a tua pobreza.Concede-nos que nunca esqueçamos os pobresnem todos quantos sofrem.”
Amém

Nenhum comentário: