domingo, 24 de maio de 2009

Nossa Senhora do Perpétuo Socorro


Senhora e Mãe do Perpétuo Socorro

27 de Junho

“Louvada, amada, invocada, bendita eternamente sejais, ó Senhora do Perpétuo Socorro, minha esperança, meu amor, minha mãe, minha felicidade e vida minha. Assim seja.” (Sto. Afonso Maria de Ligório).

Em milhares de igrejas espalhadas pelo mundo inteiro, nas quartas-feiras, tradicionalmente, se realiza a novena em honra a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, que teve início no dia 11 de Julho de 1922 nos Estados Unidos.
Vários nomes foram dados a esse quadro: Virgem da Paixão”, “A Madona de Ouro”, “A Mãe dos Lares Católicos”, “A Mãe dos Missionários Redentoristas”. O nome escolhido pela própria Virgem Maria é “Mãe do Perpétuo Socorro”. É também o nome pelo qual o Papa Pio IX pediu aos missionários redentoristas que a fizessem conhecida no mundo inteiro. Sua história é a história de como Deus orienta os acontecimentos humanos para os desígnios divinos.
Pouco se sabe sobre o autor e a origem do quadro da Virgem do Perpétuo Socorro, o que se imagina é que tenha sido pintado por um artista grego, devido às inscrições, na parte superior do quadro, onde temos as letras gregas que significam “Mãe de Deus”
O que mais nos impressiona no quadro é a figura do menino, que encontra no colo de sua mãe o seu socorro. No quadro, o Menino Jesus contempla um dos anjos, que respectivamente seguram nas mãos os instrumentos prefigurativos dos sofrimentos futuros da Paixão e Morte do Salvador: lança, vara com a esponja, o cálice com fel, cruz e cravos.
Ao correr para os braços de sua mãe, o Menino Jesus deixa dependurado o cadarço de sua sandália, a nos indicar que até mesmo no último momento devemos estar ligados a ele e a sua Mãe, como o definitivo socorro.
Quanto a Maria, seu olhar é grandioso a nos fitar com ternura, ela toma as mãozinhas do seu menino e nos apresenta como seu e o nosso Perpétuo Socorro.
Segundo uma antiga tradição, o quadro é uma pintura em estilo bizantino, e é também uma reprodução de uma pintura feita por São Lucas evangelista, que além de médico e escritor, era pintor.
Conta-se que um rico comerciante em viagem pela região da Ilha de Creta, ao contemplar o quadro em uma igreja, não se conteve, e o furtou trazendo-o para Roma. O fato deixou a população da ilha entristecida.
Quando o comerciante faleceu a Virgem apareceu a uma menina, filha da mulher que guardava o quadro em casa. Nossa Senhora pediu que o quadro fosse entronizado na Igreja de São Mateus e que lá fosse invocada como mãe do Perpétuo Socorro.
Esteve o milagroso quadro em poder dos Agostianos, depois dos Redentoristas, e, no ano de 1866, foi introduzido na igreja de Sto. Afonso. O Santo Padre Papa Pio IV recomendou aos filhos de Santo Afonso Maria de Ligório(Redentoristas): “Fazei que o mundo conheça o Perpétuo Socorro”.
No Brasil, a devoção chegou no ano de 1893 e à nossa cidade de Itajaí, em 1972.
O quadro por si só fala mais que muitos livros; incontáveis são os favores daquela expressão de fé, e manifestação do perpétuo amor de Deus.
“Elevo meus olhos para o monte de onde virá o meu socorro [...] o meu socorro vem do Senhor...”.
Paz e Bem!

domingo, 3 de maio de 2009

Nossa Senhora Auxiliadora



Nossa Senhora Auxiliadora
24 de maio


“Auxiliadora, Virgem Formosa,
dos pequeninos, Mãe dadivosa,
de mil tormentas entre o furor,
teus filhos salva, astro de amor.


O Arcanjo Gabriel ao levar a mensagem de Deus à Virgem Maria, apenas trocou um paraíso por outro. A alma de Maria era como um oceano de graça quase sem praias, sem horizontes, sem limites.
A Virgem Maria é como um precioso diamante cravado na aliança entre Deus e os homens, anunciando as núpcias do céu com a terra.
Durante o diálogo da Anunciação do Anjo Gabriel com a Virgem Maria, um silêncio se fez no céu, a Trindade Santissima com toda a corte celeste aguardava, ansiosa, a resposta da jovem Maria, e ao ouvirem o seu sim, trombetas anunciaram com grande júbilo da obediência e a vitória da mulher sobre a serpente. O Salvador estava para chegar; a humanidade ganhava uma poderosissima auxiliadora, a Virgem concebida sem pecado, a Arca da Nova Aliança, o Primeiro Sacrário de Jesus na terra.

A Auxiliadora


Os antigos romanos chamavam “Auxilia” as tropas aliadas que combatiam com suas legiões. Assim o nome “Auxilia”, evoca lutas em campos de batalha, onde a vida se pode tornar heroismo em defesa de um ideal.
A Igreja aqui na terra é também uma milicia; e os cristãos lutam pela defesa e pela propagação da fé. Nossa Senhora é o seu auxílio no combate e é terrivel com um exército em ordem de batalha.
No século XVI, foi ameaçador o dominio do Mediterrâneo pela força naval dos Turcos.
O Papa São Pio V conseguiu unir a Espanha com Veneza, sob o comando de João da Áustria e, em 1571 no Estreito de Lepanto, destrui-se totalmente a força naval da Turquia. Durante a batalha o Papa rezava, com toda a sua corte, o rosário de Nossa Senhora. Depois da vitória, o Papa São Pio V, mandou incluir a Ladainha Lauretana a invocação de Maria “Auxílio dos Cristãos”.
Napoleão Bonaparte deportou o Papa Pio VII de Roma, que ficou prisioneiro na França entre 1809-1814. Tendo experimentado o poderoso auxílio da Mãe de Deus, quando recuperou a liberdade, Pio VII decretou a celebração da festa com o título Auxílio dos Cristãos, no dia 24 de maio do Ano Litúrgico.
O Papa Pio IX exaltou a figura de Maria quando promulgou o dogma da Imaculada Conceição(Ineffabilis Dei, 1854) com estas palavras: “Maria é fidelíssima auxiliadora e poderosissima mediadora e reconciliadora de toda terra junto a seu Filho Unigênito
A invocação “Auxílio dos Cristãos” é a forma pública e social da mediação que a Santissima Virgem exerce não só a favor de pessoas, instituições e países, mas tambem para o bem de toda a Igreja Católica e do Santo Padre o Papa, principalmente nos momentos mais trágicos da humanidade e nos períodos mais dificéis da Santa Igreja


“A Auxiliadora de Dom Bosco” (1815-1888)

São João Bosco, desde o colo materno, nutria pela Virgem Maria, uma devoção filial e de total confiança. Aos nove anos tem um sonho profético de sua missão, em que o próprio Cristo lhe diz: “Eu te darei a mestra, sob cuja doutrina podes tornar-te sábio, e sem a qual todo o saber torna-se estultice”.
São João Bosco colocou a invocação Auxilio dos Cristãos, sob o titulo de Nossa Senhora Auxiliadora, no centro da espiritualidade de suas congregações recém-fundadas.
Dom Bosco, homem de sonhos e de uma visão de futuro sem par! Dom Bosco homem de oração e trabalho, incansável pela salvação de almas, pelo bem –estar e o crescimento integral de seus jovens, religioso que acreditou na juventude e por ela gastou sua existência.
Dom Bosco nada atribuía à si mesmo, e sempre dizia: “Foi Maria quem tudo fez!”
O Papa Pio IX em 1868 escrevia a Dom Bosco, em ocasião da consagração do Santuário de Nossa Senhora Auxiliadora, exaltando o patrocínio de Maria sobre a Igreja e o Pontificie.
O João XXIII recorria a “Maria Auxiliadora” e a invocava no discurso inaugural do Concílio Ecumênico Vaticano II. O mesmo fez Paulo VI.
À todos que recorriam a Dom Bosco em suas dificuldades e ele com uma confiança inigualável, recomendava a novena a Virgem Auxiliadora que constitia de 3 Pai-Nossos, 3 Ave-Marias, 3 Glórias ao Pai, acrescentando a Jaculatória: “Graças e louvores se dêem a todo momento, aos Santissímo e Divinissimo Sacramento, 3 Salve-Rainhas, acresentando a invocação: Maria Auxiliadora dos Cristãos, rogai por nós, durante nove dias, e oferecer alguma colaboração para obras caritivas.”
Na Basílica o maior monumento é a belíssima pintura sobre o altar-mor, com sete metros de altura por quatro de largura, do pintor Lorenzone, ladeada por uma bela moldura dourada. Nela a Virgem Auxiliadora é representada em toda a sua realeza ladeada pelos Apóstolos e Evagengelhistas.
A Associação de Maria Auxiliadora fundada por S.João Bosco “para promover a veneração do Santissimo Sacramento e a devoção a Maria Auxílio dos Cristãos” canonicamente ereta no santuario de Maria Auxiliadora de Turim, no dia 18 de Abril de 1869 e ereta em Arquiconfraria por Sua Santidade o Papa Pio IX no dia 5 de Abril de 1870, pertence a familia Salesiana.
A Igreja espalhada pelo mundo inteiro, recorre à Virgem Auxiliadora dos Cristãos, os fiéis recorrem à Mãe em suas necessidade e no céu ela não deixa de interceder por todos junto ao coração de seu Filho Jesus.
Louvo e agradeço a Deus pela familia Salesiana presente em Itajai, no Colégio Salesiano, Parque e Paróquia Dom Bosco e as filhas de Maria Auxiliadora, do Lar Pe. Jacó, que mantém acesa a chama de tão singular devoção.
Paz e Bem
Márcio Antônio Reiser O.F.S