segunda-feira, 30 de março de 2009

Divina Misericórdia



A Divina Misericórdia


“Desejo que o 1º Domingo depois da Páscoa seja a Festa da Misericórdia”.

19 de Abril de 2009

“Minha filha, não te canses de divulgar a minha misericórdia; consolarás com isso o meu coração, que arde como chama de compaixão para com os pecadores. (Diário – 1521)”.

Devemos buscar a Paz verdadeira no coração misericordioso de Jesus, um coração trespassado de dor e de amor; um coração que não se cansa de perdoar e amar.
O próprio Senhor assim falou à Santa Faustina: “Diz à humanidade sofredora que se aconchegue no meu coração misericordioso e eu enchê-la-ei de Paz” (Diário – 1074).

Corria o rigoroso inverno de 1931, quando no dia 22 de fevereiro, o misericordioso Salvador apareceu à Irmã Faustina, vestido com um túnica branca, com a mão direita levantada a fim de abençoar e a esquerda pousava sobre o peito fazendo com que da túnica, levemente aberta, deixasse sair dois grandes raios, um vermelho e o outro pálido. A irmã, em silêncio, fixou o olhar surpreso no Senhor; sua alma, de início espantada, sentia uma progressiva e vibrante felicidade, e então disse-lhe Jesus: “Pinta uma imagem de acordo ao modelo que estás vendo, e acrescenta a inscrição: ‘Jesus, eu confio em vós’; desejo que esta imagem seja venerada primeiramente na vossa capela e depois no mundo inteiro”.
E Jesus continuou: “Prometo que a alma que venerar esta imagem não perecerá; prometo também já aqui na terra, a vitória sobre os inimigos e especialmente na hora da morte eu mesmo defendê-la-ei” (Diário – 47 e 48).
Depois o Senhor completa suas próprias explicações, dignas de atenção: “Ofereço aos homens um vaso, com o qual devem vir buscar graças na fonte da misericórdia”. O vaso é a imagem com a inscrição: “Jesus, eu confio em Vós”.
“Os dois raios representam o sangue e a água; o raio pálido representa a água que justifica as almas; o raio vermelho significa o sangue que é a vida das almas. Ambos os raios jorraram das entranhas da minha Misericórdia, quando na cruz o meu coração agonizante foi aberto pela lança.
Quando Longuinus, o soldado romano, trespassa o coração de Jesus, abrem-se as comportas da Misericórdia e nasce a Igreja, fonte dos sacramentos.
Estes raios defendem as almas da ira de Meu Pai; feliz aquele que viver à sua sombra, porque não será atingido pelo braço da justiça de Deus. Desejo que o primeiro Domingo depois da Páscoa seja a festa da misericórdia” (Diário nº 299).
Nas palavras e na imagem de Jesus encontramos aquilo que na maioria das vezes nos falta: A confiança no seu amor e na sua misericórdia.
No alto da cruz o Senhor nos justificou a todos, tomou nossas dores, assumiu nossas faltas, e, diante do Pai, nos resgatou por suas santas chagas.
Quando contemplamos a imagem de Jesus Misericordioso com a inscrição: “Jesus, eu confio em Vós”, percebemos que o Senhor não se deixa vencer em generosidade e misericórdia; Ele vem ao nosso encontro para nos envolver no seu amor.
Devemos lembrar que às três horas da tarde, é hora da Misericórdia, é o momento da Graça, é a hora do: “Tudo está consumado”. O Senhor morre na Cruz!
Muitas vezes arrastamos por longos anos, mágoas, ressentimentos, dores, ingratidões, e com tudo isso sofremos! Sofremos porque não nos damos conta de que o Senhor está ao nosso lado oferecendo alívio, amor, perdão e Misericórdia.
É bom lembrar que devemos entronizar a imagem de Jesus Misericordioso em nossos lares, locais de trabalho, igrejas, escolas, etc, e receber em abundância as Misericórdias do Senhor.
A novena à Misericórdia Divina inicia-se na 6º Feira-Santa e termina no sábado que antecede à Festa da Misericórdia no 1º Domingo depois da Páscoa. Devemos praticar as obras de misericórdia que são:
Corporais: 1. Dar a comer a quem tem fome
2. Dar a beber a quem tem sede
3. Vestir os nus
4. Acolher os peregrinos
5. Assistir os enfermos
6. Visitar os presos
7. Enterrar os mortos

Espirituais:1. Dar bom conselho
2. Ensinar os ignorantes
3. Corrigir os que erram
4. Consolar os tristes Santa Faustina
5. Perdoar as injurias
6. Sofrer com paciência as fraquezas do nosso próximo


Senhor, fazei que eu veja com teus olhos; ouça com teus ouvidos; fale com tua boca as tuas santas palavras; que eu sinta, ame e perdoe com teu coração; trabalhe e abençoe com tuas mãos; e caminhe com teus pés, sem cessar, até o cumprimento da minha jornada, Amém!
Paz e Bem!
Márcio Antônio Reiser O.F.S.

Nenhum comentário: