domingo, 7 de dezembro de 2008

Um gambá no Presépio?



Um gambá no Presépio?

Os anjos cantavam “Glória!”
Nasceu o Salvador, o Messias!
O Príncipe da Paz! O Filho de Deus
encarnado! Jesus Cristo, Nosso Senhor!

Belém, (Casa do Pão), Belém de Judá, berço do Rei Davi, lugar sem igual, pequena e insignificante aos olhos dos homens, grande e majestosa aos olhos de Deus!
Belém, berço do Menino Jesus, Terra Santa que contemplou a grandeza de um Deus na forma indefesa de uma criança.


José e Maria, apesar dos pesares, estavam radiantes de felicidade, afinal, foram eles os primeiros adoradores do Salvador, privilégio único concebido por Deus; o fruto bendito do ventre de Maria era “O Emmanuel = Deus conosco”.
Melodias harmoniosas cantavam os anjos de Deus. Um novo tempo era anunciado aos pastores que estavam nos campos vizinhos.
Nos céus, os astros davam sinal de que o Rei do Universo visitava o seu povo e já dava os primeiros sinais de sua humanidade: chorava de fome e era nutrido pelo leite virginal de Maria.
O Senhor convoca toda a criação!

Diz uma lenda muito antiga, que o Senhor Deus ordenou que todos os animais da Terra fossem adorar o Menino Jesus.
Em pouco tempo, uma multidão estava enfileirada na entrada da gruta.
Sórec, o burrinho privilegiado da Sagrada Família, monta guarda na entrada e organiza a fila.
Assim, todos, um a um, vão chegando e encantados e reverentes, adoram o Santo Menino.
Leão, tigre, urso, cobras e serpentes, aves e insetos, de cada espécie um ou dois representantes, e a fila era imensa.
Para facilitar e agilizar as homenagens, os animais maiores serviam de transporte aos menores.
O Menino olhava o brilho da cauda do pavão, o colorido das araras e dos tucanos, a beleza das asas das borboletas, a majestade do marfim dos elefantes, o miado dengoso da gatinha e até os espinhos do porco-espinho.
Tudo encantava, a fila parecia chegar ao fim, quando na entrada escondido, estava o gambá.
O pobre e desengonçado gambá, ficou em último lugar pois seu cheiro era muito forte.
Nossa Senhora percebe sua timidez e o convida a entrar; meio constrangido, ele reverencia o Menino Jesus e sem querer bate com sua cauda no rosto de Jesus!
O Menino sente cócegas no nariz, agarra a cauda do gambá e a coloca na boca. O gambá tenta puxar a cauda e o Menino cheio de alegria, solta uma gargalhada.
Todos se alegram, quando de repente a cauda do gambá muda de cor, e seguindo até as costas forma-se uma bela listra branca: fora justamente a ponta da cauda que o menino colocou na boca.
Nossa Senhora, com um lindo sorriso, olhou para o gambá e disse:
- Querido gambá, alegrastes o meu Menino e em ti Ele deixou um sinal. Teus filhotes permanecerão grudados em teu ventre até que sejam desmamados, pois foste tocado pela saliva do Filho de Deus!
Em tudo demos graças a Deus, o Senhor veio para todos, sem distinção, e para todos trouxe a salvação.
Que ninguém se sinta excluído do Amor de Jesus, pois para cada um Ele tem um olhar de ternura e um gesto de carinho.
Que cada casa se torne uma gruta de Belém e cada coração um berço para acolher o Príncipe da Paz! O Santo Menino Jesus!
Feliz Natal! Escolhe, pois, celebrar a Vida!
2009 de bênçãos

Paz e Bem!
Márcio Antônio Reiser O.F.S.

Um comentário:

Dóris disse...

Márcio, gostei da historia do gambá no presepio. Aqui na minha cidade eles tem outra versão. De onde é a sua versão?
Abraços,