domingo, 23 de novembro de 2008

Sagrada Família


Sagrada Família:
José e Maria
Escolheram, pois, defender o autor da Vida!


28 de dezembro

“Ó Cristo, Luz do Pai, ó Mãe de Deus, Maria, José, que protegeis o lar com alegria”.

Família, Sagrada em sua essência, sinônimo de acolhimento, de aconchego, e, como no dizer de nosso saudoso Papa João Paulo II: “Família, Santuário da Vida!”.
José e Maria, escolhidos por Deus e preparados pela graça, protagonizaram a mais bela história que o Senhor escreveu, a história da salvação!
Deus, em sua infinita bondade, desejou que a vinda de seu Filho ao mundo fosse cercada de cuidados especiais. Nos seus planos, o Senhor pensou que, ao adquirir a natureza humana, Jesus necessitaria de afeto e proteção; Deus pensou em Maria e em José, e Ele desejou para o Seu Filho o crescimento pleno no seio de uma família.
Quando Maria tomava o Menino, tão frágil e indefeso, em seus braços, e com seu leite o nutria, certamente divagava em seus pensamentos e meditava em seu coração, as palavras do salmista: “Os filhos são a bênção do Senhor, o fruto das entranhas, Sua dádiva”.
A figura de José, a quem as escrituras chamam de Justo, sempre nos recorda a responsabilidade paterna, ou seja: a defesa e a manutenção da Vida, de todos os membros da família.
Na humilde morada de Nazaré, começou a se desenrolar, entre os membros da Sagrada Família, as primeiras páginas do Novo Testamento.
Um lar modesto, sereno e terno, onde o testemunho de Cristo e de Seus Pais demonstrava, também, o imenso resplendor que pode atingir uma vida familiar comum, vivenciada em Deus, na simplicidade e num grande amor compartilhado.
A Sagrada Família vivia uma realidade tão grandiosa que apenas o silêncio e a discrição poderiam assegurar, ao Lar de Nazaré, a serenidade necessária ao desenvolvimento do Plano de Deus; serenidade para zelar pela infância e adolescência de Jesus, até que Ele alcançasse a maturidade e pudesse iniciar sua Missão.
Lar de Nazaré, modelo de obediência e fidelidade, aprendizado recíproco, um pedaço do céu na Terra, onde Deus dá os primeiros passos segurando nas mãos de seus pais.
O Documento de Aparecida nos lembra que: “A Família é o ninho onde a vida é acolhida, amada e respeitada desde a concepção até o seu fim natural”.
Sagrada Família, ninho de amor e escola de virtudes, divina sem deixar de ser humana.
Amém
Paz e Bem!

Nenhum comentário: