domingo, 19 de outubro de 2008

São Nicolau de Bari


São Nicolau de Bari

“O Papai Noel Cristão”


06 de dezembro

“Feliz quem se lembra do necessitado e do pobre, porque no dia da desgraça o Senhor o salvará” Salmo 40, 2.


Quem foi São Nicolau?


Nasceu na Lícia, hoje Turquia, no ano de 275; filho de pais afortunados e cristãos praticantes, Nicolau cresceu num lar harmonioso e generoso, pois seus pais sempre souberam socorrer os necessitados, os peregrinos e os marginalizados da Sociedade do seu tempo.
Como se conhece a árvore pelo fruto que dela cai, com Nicolau não seria diferente, e ainda muito jovem decidiu dedicar-se ao Reino de Deus, tornando-se sacerdote.
Padre Nicolau trabalhou na Diocese e Mira, onde exerceu seu ministério com amor e dedicação pela causa da evangelização e conversão dos pagãos, num clima de perseguição religiosa.
Nicolau se preocupava com as causas sociais de seu tempo, e, como zeloso sacerdote, não hesitou em distribuir sua herança em favor dos menos favorecidos de sua Diocese.
A tradição relata o fato, bastante conhecido, das três jovens cujo pai era muito pobre, não podendo fornecer dotes para o casamento, aconselhara as filhas a se entregarem à prostituição. Padre Nicolau ao saber disso, jogou pela janela da casa das jovens três bolsas cheias com dinheiro suficiente para os dotes.
Nicolau foi sagrado Bispo de sua cidade depois de uma viagem a Terra Santa, no ano de 325 em Nicéia, subscreveu a fá na Divindade de Cristo consubstancial ao Pai (Homoousios).
Ainda segundo a tradição, muitos milagres são atribuídos ao Bispo Nicolau. Eis alguns: libertou três oficiais presos injustamente por Constantino, graças aos seus rogos e seus apelos convincentes; ressuscitou três meninos que tinham sido cozinhadas em salmoura, por um hospedeiro cruel; salvou um menino morto em chamas; libertou três marinheiros de um naufrágio.
Incontáveis seriam os milagres atribuídos ao Santo, porém, no século XII apareceu o costume de representar São Nicolau dando doces às crianças, na vigília de sua festa. Numa lembrança do milagre dos três meninos assassinados.
Mais tarde, esse costume se desenvolveu por influência dos mitos germânicos da natureza. E no século IX, no norte da Alemanha, o folclore pagão substituiu São Nicolau pelo “Homem do Natal”, mudando seu nome para “Santa Claus” ou para o velho “Papai Noel”.
Durante a perseguição de Diocleciano, Nicolau foi preso e suportou corajosamente às torturas; quando já estava para ser processado e condenado à morte, foi publicado o Edito de Milão, em 313, concedendo-lhe a liberdade religiosa.
Ainda sobre o Concílio de Nicéia, em 325, no início do Concílio, Nicolau presenciou uma cena de indescritível emoção. Constantino Magno, Imperador de Roma, que por muitos anos tinha perseguido os cristãos, ajoelhou-se para beijas as cicatrizes de Nicolau e de outros bispos torturados na última perseguição.
Ao que parece, Nicolau faleceu em Mira, no ano de 342, com grande fama de Santidade e de Poder Taumatúrgico.
Por volta de 847, foi organizada uma expedição, por iniciativa da cidade de Bari, na Itália, a fim de transportar as Sagradas Relíquias para um lugar mais seguro, pois a Turquia estava sendo invadida pelos mulçumanos. A expedição realizou-se com êxito, e o corpo de São Nicolau foi, de fato, depositado na Catedral de Bari, que o tem com Padroeiro.
São Nicolau tornou-se popular também na Rússia, onde foi declarado Padroeiro principal, motivo pelo qual muitos Czares adotaram este nome.
São Nicolau é invocado contra os perigos de incêndio e também é Padroeiro dos Marinheiros. Porém, de tudo que faz, e dos prodígios que realizou, devemos nos concentrar em suas virtudes e em sua bondade. Destacamos a caridade extremada, o zelo pelo anúncio do Evangelho, a defesa da Doutrina da Igreja, a coragem e a determinação em não ceder às ameaças dos poderosos e o olhar atento no exemplo de Jesus Cristo.
Que São Nicolau nos ensine a transformar o Natal Pagão de Papai Noel em Natal Cristão do aniversariante Jesus Cristo, Salvador dos homens. Amém.

Nenhum comentário: