terça-feira, 23 de setembro de 2008

Senhora da Conceição, Aparecida do Brasil!


Senhora da Conceição,
Aparecida do Brasil!


12 de outubro

“...O Santuário Nacional de Aparecida é o Coração Mariano do Brasil: Maria nos acolhe neste cenáculo e, como Mãe e Mestra, nos ajuda a elevar a Deus uma prece unânime e confiante” (Bento XVI).

O que nos diz a história


Corria o ano de 1717, mais precisamente a segunda quinzena do mês de outubro, conforme descreve o então vigário de Guaratinguetá, Pe. José Alves de Villela, quando da chegada na Vila de Guaratinguetá, do Conde de Assumar, que estava de passagem em direção às Minas Gerais.
Foram convocados todos os pescadores da Vila, e de Dom Pedro de Almeida, governador da Capitania de São Paulo, receberam a incumbência de trazer o maior número de peixes possível para a comitiva do Conde.
Dentre os melhores escolhidos destacavam-se os pescadores Domingos Garcia, João Alves, e Felipe Pedroso; homens honestos e piedosos, que saíram pelas águas do rio do porto de Itaguaçu, cheios de entusiasmo.
Horas exaustivas de trabalho e nenhum peixe conseguiram apanhar, as águas do rio Paraíba eram cobertas de vegetações, próprias a proliferação de peixes.
João Alves invoca a Senhora da Conceição e lança sua rede de arrasto e ao puxá-la de volta encontra, entre a vegetação um corpo de uma imagem. Novamente lança a rede e recolhe a cabeça. Era a imagem da Senhora da Conceição. Os três, estupefatos, rendem homenagens à Aparecida das águas.
Como que por inspiração, ou, talvez, por lembrarem da pesca milagrosa do evangelho, decidem lançar novamente as redes, e para espanto de todos, elas quase se rompiam com a quantidade de peixes; o milagre da multiplicação dos peixes aconteceu assim como em Cana: “Eles não têm mais vinho, mais peixe...”.
Felipe Pedroso levou a imagem para sua casa; depois de 15 anos, deu a imagem ao seu filho Atanásio Pedroso e este fez, o primeiro oratório e sobre um altar de rudes troncos, entronizou aquela que seria a Rainha e Padroeira do Brasil.
Incontáveis milagres foram sendo registrados pelo povo simples, a santinha Aparecida, como a chamavam, não deixava ninguém ao desamparo. Era para todos o bom conselho, a consoladora, o poderoso auxílio, etc...
A primitiva igreja foi inaugurada no dia 26 de Julho de 1745, pelo Pe. Villela, e a basílica velha começou a ser construída em 1844, sendo concluída em 1888.
No ano de 1893, Dom Lino Rodrigues de Carvalho denominou o novo templo de: “Episcopal Santuário de Nossa Senhora da Conceição Aparecida”, tendo Pe. Claro Monteiro como 1º vigário.
Em 1894, chegam em Aparecida, os missionários redentoristas. Dez anos depois, ou seja, em 8 de dezembro de 1904, a imagem foi coroada por Dom José Camargo Barros e a coroa foi oferecida pela Princesa Isabel.
O santuário foi elevado à basílica em 1908. No ano de 1929, em 8 de setembro foi declarada Rainha do Brasil e no dia 16 de Julho de 1930 o Papa Pio XI confirmou a autenticidade dessa proclamação e declarou Nossa Senhora Aparecida padroeira, diante de Deus e da nação brasileira.
A nova basílica começou a ser construída em 1959 e foi sagrada oficialmente pelo Papa João Paulo II em 04 de Julho de 1980, passando a chamar-se catedral-basílica.
Em 1980, o dia 12 de outubro passou a ser feriado nacional por um decreto do presidente João Batista Figueredo.
A Senhora Aparecida, a humilde Serva do Senhor, é solidária com os negros escravizados nas terras do Brasil. A imagem de terracota mede 39 cm, com um pequeno sorriso nos lábios, quer nos confortar; as mãos postas nos lembram a sua valiosa intercessão. Ela é a Imaculada encontrada nas águas para nos lembrar a fonte batismal e o novo nascimento para a vida de fá e em comunidade.
Quando entramos no santuário de Aparecida temos a certeza de estarmos na casa da mãe, tão acolhedora e tão solícita, o que nos comprova é a sala dos milagres.
A Virgem Mãe de cor morena é tão parecida com o povo brasileiro, que desejou ser conhecida como Senhora Aparecida.
O coração do povo brasileiro bate mais forte no altar da Aparecida. Ela é Nossa Mãe e Senhora e está sempre a nos exortar: “Fazei tudo o que Ele vos disser” (Jo. 2, 5).
“Neste lugar a Virgem, há mais de dois séculos, marcou um encontro singular com a gente brasileira” (João Paulo II, 1980 – Aparecida).

Nenhum comentário: